Release da Associação dos Arrozeiros de Alegrete

Rede Social

Homenagem a Dr. Ary Faria Marimon

Na noite de quinta-feira (16) a presidente da Associação dos Arrozeiros Fátima Marchezan prestigiou a outorga do Título-Medalha de Vereador Emérito de Alegrete ao nosso querido amigo Dr. Ary Faria Marimon.

Um merecido reconhecimento a este homem visionário e sempre à frente do seu tempo, que se preocupa e se dedica as pessoas e ao setor primário.

A Associação dos Arrozeiros de Alegrete manifesta nossos cumprimentos pela merecida deferência.

 

Reunião de Diagnostico do Zoneamento Ecológico econômico do RS – ZEE – RS

Na terça-feira (21),  o vice-presidente da Associação dos Arrozeiros de Alegrete, Fernando Lopa, representou a entidade na reunião do ZEE-RS e ressaltou a importância da participação da comunidade na criação desta impo

rtante ferramenta para futuras decisões de gestão pública.

As Oficinas Participativas de Diagnóstico do ZEE-RS visam apresentar à sociedade os principais resultados da atividade de Diagnóstico do projeto, bem como coletar percepções dos atores regionais, que subsidiarão as próximas etapas do trabalho.Além desta oficina, o ZEE-RS irá realizar outras dez em diferentes regiões do estado.

 

Diferença de custos no Mercosul pauta Audiência Pública sobre Arroz

Grupo de trabalho formado por entidades do setor e representantes do governo

foi formado para encontrar soluções para crise no setor

Um grupo de trabalho para discutir as assimetrias do Mercosul em relação ao arroz e buscar soluções para os problemas vividos pelo setor no Brasil deve iniciar imediatamente a se reunir para tratar do tema. Esta foi uma das definições da Audiência Pública realizada pela Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados na manhã desta terça-feira, 21 de novembro, em Brasília (DF) e que tiveram como proponentes os deputados Alceu Moreira (PMDB/RS) e Luiz Carlos Heinze (PP/RS). A disparidade nos custos entre os países foi o que deu o tom do debate na capital federal.

Formam a comissão a Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul), Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz) e Federação das Cooperativas de Arroz do Rio Grande do Sul (Fearroz). Do governo, participam os ministérios da Agricultura, do Desenvolvimento, Comércio e Serviços, da Fazenda, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).
No início da audiência, os representantes do governo reconheceram os problemas da cadeia produtiva. O secretário Substituto de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Sávio Rafael Pereira, salientou que todos os compromissos assumidos pela pasta com o setor arrozeiro estão sendo cumpridos. Sobre a queda expressiva nas cotações, o entendimento é que parte deste fato se deu por causa da oferta e demanda de mercado.
O presidente da Federarroz, Henrique Dornelles, lembrou da eficiência e produtividade do setor no Rio Grande do Sul, que é uma das maiores do mundo em área superior a um milhão de hectares, mas que vem sendo comprometida pelos altos custos de produção que nos últimos cinco anos dobrou se considerado apenas o custo variável. \”Temos pela frente um problema complexo que não é novo,

 mas nos níveis que está nos atingindo este ano, vejo que muito pouco futuro teremos para os arrozeiros para a próxima safra. Como arrozeiro vejo que existe limite para seguir na atividade. O recado que damos ao produtor é que parem antes que sejam parados por estas condições\”, destacou.

O diretor jurídico da Federarroz, Anderson Belloli, contestou a afirmação de representante do governo que disse ser impossível a aplicação de salvaguardas por causa de regras do Mercosul, já que há uma legislação maior determinada pela Organização Mundial do Comércio que se sobrepõe à medida regional. Enfatizou que é preciso estabelecer um debate pertinente com a cadeia produtiva de forma a resolver a questão. \”O que estamos debatendo não tem nada de artificial. Enquanto estamos buscando urgência na discussão, famílias estão perdendo suas terras no Rio Grande do Sul. Até criar situações estruturais e criar uma política agrícola diferenciada para o arroz, preciso sustentar o maior número de famílias na atividade\”, observou.

Em seu relato, o presidente do Irga, Guinter Frantz, salientou que o instituto tem feito esforços para que o produtor tenha competência na produção, no entanto este trabalho acaba sendo desperdiçado pelos problemas da lavoura arrozeira. \”O produtor é produtivo, estamos produzindo com tecnologia de ponta, mas está sendo inócuo e nos sentimos desconfortáveis, pois o produtor não esta tendo êxito, e para ter êxito é preciso ter renda. Esperamos de fato que este trabalho continue para que tenhamos soluções e não podemos mais postergar\”, advertiu.
O coordenador da Comissão do Arroz da Farsul, Francisco Schardong, destacou o trabalho da entidade em pesquisar sobre as diferenças nos custos do Brasil em relação à Argentina e ao Uruguai, 51% e 24%, respectivamente, menores do que os registrados no Brasil. O dirigente questionou a burocracia brasileira especialmente na aquisição de produtos oriundos de outros países. \”Argentina, Uruguai e Paraguai não estão errados. Os países do Mercosul estão certos. Nós compramos produtos lá e trouxemos para cá nos trâmites legais e isso levou 90 dias para trazer um defensivo. Não adianta mudar a regra do jogo se a burocracia brasileira não ceder\”, pontuou.

A presidente da Associação dos Arrozeiros Fátima Marchezan representou a entidade, juntamente com representantes de entidades das indústrias e produtores de arroz de diversas regiões do Rio Grande do Sul, além de parlamentares do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina.

 

Palestra de Capacitação Profissional Doença Celíaca e Intolerância ao Glúten

A Associação dos Arrozeiros de Alegrete e a Secretaria de Saúde realizaram em parceria uma palestra de capacitação sobre doença celíaca e intolerância ao glúten.

O Diretor Tesoureiro da entidade, LuisTambara representou a Associação no evento.

Na oportunidade a Dra. Renata Carlesso e a Ester Benatti Vice Presidente da Associação dos Celíacos do Brasil – Rio Grande do Sul, explanaram sobre a intolerância ao glútem e doença celíaca.

Agradecemos a todos os profissionais de saúde, estudantes e a comunidade que prestigiou o evento.

 

 

“De Produtor para Produtor”
4º Encontro de Produtores do Juntos para Competir

Na quarta-feira (22) a presidente da Associação dos Arrozeiros de Alegrete Fátima Marchezan, participou do 4º Encontro de Produtores do Juntos para Competir.

O Programa Juntos para Competir, que promoveu o encontro, é uma iniciativa que tem como objetivo organizar e desenvolver as principais cadeias produtivas do Rio Grande do Sul, por meio da capacitação e de uma maior integração do setor, melhorando a qualidade dos produtos e agregando valor à produção agropecuária.

Na oportunidade a Equipe da Panela Campeira elaborou o almoço de confraternização que foi um saboroso risoto de charque.

 

Paga Pedra Safra 2017 – 2018

A Associação dos Arrozeiros de Alegrete já está realizando as adesões ao Paga Pedra Safra 2017 – 2018.

O programa é mais um dos benefícios da entidade para seus associados.

O Paga Pedra prevê o pagamento de uma taxa de adesão para as despesas administrativas e a caução em produto para formação do fundo.

Já estamos realizando as adesões ao Programa Paga Pedra, os documentos necessários são:

– Croqui digitalizado de cada lavoura;

– Croqui de localização digitalizado de cada lavoura;

– ART;

– Comprovante de propriedade ou arrendamento da lavoura;

– Cópia de identidade, CPF e comprovante de residência;

– Termo de adesão ao Paga Pedra (modelo padrão disponibilizado pela Associação dos Arrozeiros e devidamente reconhecido em cartório);

– Procuração (modelo padrão disponibilizado pela Associação dos Arrozeiros e devidamente reconhecido em cartório);

– Comprovante de recibo de depósito (caso optado pelo associado. Modelo padrão disponibilizado pela Associação dos arrozeiros e devidamente reconhecido em cartório) ou cheque caução.

Interessados podem procurar a Associação dos Arrozeiros de Alegrete na Rua Bento Gonçalves, 247 ou pelo telefone 3421-4303.

 

Festa de Confraternização da Associação dos Arrozeiros de Alegrete

 

Reunião com Produtores

 

Troféu Destaque Feminino Rural 2017 – Categoria Liderança

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *