Na Mira – 24.02.2018

Rede Social

“Quem não se comunica, se trumbica”

A prefeita Cleni Paz precisou ir ao Rádio pelo  menos duas vezes esta semana para esclarecer, ou tentar esclarecer, o que as redes sociais repercutem. A primeira delas, quando surgiu a alarmante notícia de que quatro escolas de polos rurais seriam fechadas, inclusive elencando-as: Mariano Pinto, Rincão do 28,  Jacaraí e Alda Crespo, na Vila do Passo Novo.Na verdade, o que houve de fato foi o afastamento das equipes diretivas dessas escolas, em uma espécie de projeto-piloto, que o Governo chama de “gestão integrada”.Ora, num orçamento de mais de 53 milhões de reais, afastar quatro diretoras, e assumir que não está descartado o fechamento desses polos, conforme os resultados da experiência colocada em prática, é dinamite puro entre os professores da rede e as comunidades rurais. Não há como não repercutir. A prefeita Cleni foi ao rádio e negou veeementemente o fechamento. A secretária Márcia Dornelles, entretanto, em pronunciamento na Câmara Municipal, atendendo requerimento do vereador Anilton Oliveira (PT), ponderou os custos da educação pública do Município, com especial destaque ao transporte escolar, e deixou claro que a atual Administração não descarta esta medida. Há em curso uma experiência, que se não der resultados, provocará a medida mais dura. O próprio diretor geral Sandro Barúa foi claro, em entrevista ao portal Alegrete Tudo. Portanto, há fundamento no borburinho sim. E talvez tenha faltado clareza ao dar a notícia. E, com certeza, habilidade em construir esta solução, já que as diretoras foram comunicadas do seu desligamento às vésperas do início do ano letivo. Consideraram-se agarradas num pincel.Com absoluto controle dos números da gigantesca máquina que administra – a Secretaria de Educação e Cultura do Município – a professora Márcia Dornelles explanou com a tranquilidade habitual a situação da Pasta. Todavia, os números apresentados provocam reações nem tão tranquilas. O Movimento da Vida, por exemplo… Um dos projetos mais louváveis, mais extraordinários em execução no Município, envolvendo alunos, crianças e adolescentes de comunidades de bairros e desenvolvido em parceria com a Fundação Educacional de Alegrete, teve seus recursos reduzidos em nada menos do que 150%. Isso mesmo: de 250 mil para 100 mil reais.O MOV é a principal rede de proteção social do Município. Desenvolve-se em 14 núcleos em todas as regiões da cidade, tendo acordos firmados com a União de Associações de Bairros de Alegrete (UABA), Liga Alegretense de Futebol (LAF), Universidade da Região da Campanha (URCAMP) e também com escolas da rede municipal e estadual que cedem suas quadras paras as atividades do programa. Como não alarmar-se com esta drástica redução de recursos?Nem bem a secretária saía da Câmara Municipal, onde foi saudada pelo conjunto de vereadores e vereadoras, e outra bomba explodia nas redes. As escolas infantis encerrariam as atividades às 15h. Imediatamente as mães e pais que trabalham em dois turnos (a grande maioria) entrou em polvorosa. Fui contatado por diversas pessoas alarmadas com a notícia: “como vou fazer”, perguntava uma; “perdi a vaga no Sesquinho e agora vem essa notícia”, dizia outro… E assim por diante.Na manhã de sexta, a prefeita Cleni voltava ao rádio para garantir que as mães que trabalham no turno da tarde, poderão sim deixar as crianças nas EMEIS e reclamava da onda de “diz-que-diz-que”, envolvendo a educação.Uma coisa é certa: se há ruído na comunicação, alguma coisa não está funcionando a contento. Ou estão mudando de ideia com muita ligeireza no Paço Municipal…

 

Não Gol – #alilámerepresenta

Nada a ver com futebol. “Não gol” é o pedaço que restou do adesivo NÃO AO GOLPE que colei na janela do meu quarto, no auge da  hecatombe destruidora que derrubou a nossa Presidente, com o intuito de colocar a faixa presidencial no abominável homem das neves.Hoje todos sabem (até a mídia vendida) que foi golpe sim, golpe baixo, rasteiro.Mas as panelas e frigideiras “moralizadoras” silenciaram, desmoralizadas pela escancarada corrupção dos seus anjos, criminosos que a Lava Jato ainda tenta esconder. E até os patinhos amarelos foram nadar.Pois a janela é minha e eu posso anunciar o que eu quiser, a despeito de quem não aceita opinião divergente e rasgou o adesivo da casa dos outros.Ironicamente, ficou do adesivo o pedaço NÃO GOL, que até dá para aproveitar, porque o “gol” dos adversários de Dilma foi contra: tiro no pé. Veja-se o que está acontecendo no Brasil. Pior que antes.Trabalhador não tem vez. Salário mínimo é R$ 11,00 menos do que havia sido anunciado. Aposentadoria não mesmo. Trabalho escravo difícil de comprovar. Poderosos de alto escalão comprometidos até o pescoço. Malas em corridinha pela rua (500 mil) e outros 51 milhões espalhados por malas e caixas de papelão em apartamento transformado em bunker/baú do tesouro pirata. Auxílio moradia para excelências que têm casa própria – e, se não tivessem, pagassem aluguel do próprio bolso, como todo cidadão. Cidadão. Isenção de Imposto de Renda sobre percentual dos seus salários.Auxílios de todo tipo: paletó, carros, motoristas, seguranças, passagens de avião e até comida (retroativa!). Será que estiveram em jejum por tanto tempo? Ou fizeram continha em caderneta no armazém mais próximo?O presidente blindado por uma guarda pretoriana. Câmara, Senado, acólitos. E agora até o Segóvia da Polícia Federal, que se desculpa, mas não convence. Queria arquivar investigação contra seu chefe maior.Que tempos!Uma coisa é previsível: se Lula concorrer à presidência, ganha folgado. Por isso, a perseguição desesperada. É medo!Até aquela condução coercitiva ordenada pelo juizinho cara de anjo (só a cara), totalmente sem amparo legal, com a intenção de assustar a população e humilhar o homem – que não era réu, não era testemunha e não se havia negado a comparecer sei lá onde. Mas lá estava a Globo para o estardalhaço, chegando antes da própria Polícia.E temos mais! Agora, autoridades deram para exibir-se, prestando conta de qualquer passo que deram ou vão dar.Já é mais que infantilidade. É para isso que as redes sociais estão-se prestando, desviadas das inúmeras utilidades que poderiam ter para localizar, ajudar, aproximar.É um terror. Nunca se viu tanta leviandade. Isso deveria ficar para adolescentes, que querem e precisam mostrar-se.Que fiasco.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *