Nota de esclarecimento sobre a Moradia Transitória

Rede Social

A Prefeitura de Alegrete vem a público prestar os seguintes esclarecimentos sobre vídeo veiculado em redes sociais, aplicativos de mensagens e repercutido por meio de Portal de Notícias e jornais da cidade, que mostraria suposta agressão a criança acolhida na Moradia Transitória “Lar Nova Esperança”:

a) No dia 19 de Abril de 2018, por volta das 21 horas a Coordenadora da Moradia Transitória foi informada a respeito de um vídeo filmado por vizinhas da Instituição, onde é possível escutar gritos de uma criança, em que também aparecem o monitor da entidade e dois acolhidos;

b) O vídeo postado em redes social e disseminado por meio de aplicativos de mensagens, foi acompanhado de comentários acusando o monitor da instituição de ter agredido um dos dois acolhidos, muito embora não se perceba ou seja nítida qualquer cena no vídeo que demonstre a ocorrência de agressão;

c) Mesmo assim, imediatamente após tomar conhecimento da situação, a direção da Moradia Transitória ouviu os dois acolhidos e todos os funcionários presentes na Casa no momento da referida filmagem visando apurar o que ocorreu;

d) Na manhã do dia seguinte (20/04), foi encaminhado ao Conselho Tutelar, Juizado da Infância e Juventude, Secretaria de Promoção e Desenvolvimento Social e Prefeita Cleni Paz da Silva o relatório da situação constada e ata lavrada no local, demonstrando que as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive com o afastamento provisório do funcionário até ser finalizada a averiguação administrativa;

e) Cumpre esclarecer que a Moradia Transitória acolhe crianças e adolescentes vítimas de violência, alguns com problemas mentais graves, histórico de crises comportamentais e submetidos a medicação psiquiátrica, cuja identidade está protegida pelo Estatuto da Criança e do Adolescente;

f) Importante também ser informado, que já está em fase de estudo avançado a aquisição e instalação de câmeras de segurança no local, visando proporcionar tanto a proteção dos acolhidos, com a acompanhamento 24 horas das crianças e adolescentes, bem como auxiliar a esclarecer qualquer situação irregular que venha a acontecer dentro da Moradia Transitória;

g) Por fim, a Moradia Transitória mantêm-se à disposição para esclarecimentos complementares, tanto para a comunidade quanto para a imprensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *