39ª Feira do Livro de Alegrete

Compartilhar

” O Alegrete que ultrapassa fronteiras através da cultura”.

De 8 a 12 de Agosto, no Largo do Centro Cultural Adão Ortiz Houayek

A 39ª Feira do livro de Alegrete terá como Patrona a alegretense Cláudia Pereira da Costa, a Cadica. A escolha da patrona vem de encontro ao tema da Feira: “O Alegrete que ultrapassa fronteiras através da cultura.”.

Empresária, coreógrafa, atriz, professora e bailarina da Cadica Cia de Dança, diretora da escola Cadica Danças e Ritmos que engloba diversos estilos de danças, graduada em Comunicação Social Publicidade e Propaganda pela UNISINOS e Pós-graduada em Dança pela PUC.

Foi 1ª prenda do CTG Farroupilha em Alegrete e coordenou invernadas mirim e juvenil durante dois anos. Participou do grupo “Muripás”, Latino Danza Show com Elza Miño e Norton do Carmo e dançou com o argentino Índio Olegui e Miriam. Sua Cia de Dança participou de importantes eventos, projetos e espetáculos com shows flamencos, gaúchos e fusões de diversos ritmos. A Cia viajou também por vários países como Coréia do Sul, Portugal, China e Rússia representando a cultura Brasileira.

Nestes 25 anos de trajetória mostrou ao mundo nossa tradição e garra. Recentemente foi homenageada pela Escola de Samba Astros de Alvorada onde foi o tema do samba enredo.Na área de desenvolvimento Humano, começou seus estudos em 2009 e desde lá fez vários cursos, em diferentes institutos. Tem Formações em: Trainer em PNL (Practitioner, Master e Trainer), Coaching em PNL, Coaching Integrativo Sistêmico e Renascimento.

Cadica vem desenvolvendo estudos e trabalhos relacionados à Dança e PNL em pequenos Workshops. Há dois anos também ministra um workshop chamado “Transfordance” que é um curso para 2 a 3 dias intensivos.

Foto: o livro “ Baile Flamenco” foi lançado em 2011e trata da identidade gaúcha ressaltando a dança. 

 


Escritores Homenageados

A 38ª Feira do Livro terá como escritores homenageados: Kelli Pedroso, Paulino Dorneles Fernandes e Daniela Rodrigues da Cunha (em memória).

 

Kelli Pedroso nasceu em Porto Alegre, em 1977. É jornalista, agente literária, escritora e editora da Pergamus. Fez pós-graduação em Assessoria Linguística: Produção e Revisão Textual, na UniRitter. É autora de O Sexo das Antas (2011), obra que ficou entre os três finalistas do Prêmio AGES (Associação Gaúcha de Escritores). As horas não importam mais é seu primeiro romance. Além disso, publicou contos na obra “Antológicos, Ed. Nova Prova. Porto Alegre, 2008. ”, além de ter sido organizadora e coordenadora editorial da obra. Teve 06 artigos publicados no Jornal do Comércio, 51 artigos publicados na seção Palavra do Leitor (jornal Zero Hora), 05 artigos publicados na revista Veja, 01 artigo publicado na revista Época, 02 crônicas publicadas no jornal Gazeta de Alegrete.

 

 

Paulino Dorneles Fernandes Neto nasceu em Alegrete em 17 de dezembro de 1965. Cursou o ensino fundamental na Escola Divino Coração, ensino médio na Escola Oswaldo Aranha e formou-se na Unisinos em processamento de dados em 1987. Em 1988 fundou a empresa Acesso Informática. Em 1994 foi presidente dos Jovens Empresários de Alegrete. Atua, ainda, na agropecuária onde desenvolve, também, um projeto de turismo rural na Fazenda da Cascata. Fundou, junto com sua família, o décimo primeiro museu de Alegrete: Museu Fazenda da Cascata com artigos de uso doméstico e campeiro do início do século XX. Em 2008 iniciou o projeto Turminha Legal de incentivo à leitura, onde já distribuiu, gratuitamente, mais de 20.000 livros nas escolas participantes. (Alegrete, Quaraí, Uruguaiana e Cachoeira do Sul). Obras infantis: A Turminha Legal fazendo escolhas (2018), A Turminha Legal e a Princesa Vida (2017), A Turminha Legal e o Seu Perfeito (2016), A Turminha Legal e a Árvore Zinha (2015), A Turminha Legal e o Fantasma do Medo (2014), A Turminha Legal no mundo do Sim e do Não (2013), A Turminha Legal e o Menino do Coração de Pedra (2011), A Turminha Legal em Busca do Bosque Bondade (2008). Obra juvenil: O endereço de Cristine (2016).

 

Daniela Rodrigues da Cunha nasceu em Porto Alegre, em 02 de junho de 1966. Com seus pais, Domingos Fernandez Álvares da Cunha e Iolanda Rodrigues da Cunha, passou sua infância e adolescência em Alegrete. Estudou na Escola Divino Coração, no Emilio Zuñeda e no Instituto de Educação Oswaldo Aranha. Formou-se em Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS e frequentou até o penúltimo semestre de Direito PUCRS. Profissionalmente trabalhou na área de Comunicação na Secretaria de Cultura do RS, realizou e coordenou o Projeto de Comunicação da Concepa – Free Way por mais de 10 anos, coordenou por vários anos a captação de recursos e comunicação do Carnaval de Porto Alegre. Transferindo-se para Santa Catarina, deu aulas na Faculdade de Comunicação ASSESC, graduou-se Mestre em Comunicação pela UNIVALE e publicou crônicas no jornal Expresso Minuano de Alegrete e no Diário Catarinense de Florianópolis. Em 2001, recebeu o prêmio “Opinião Pública”, do Conselho Regional de relações Públicas, 2ª Região – SP/PR. Em 2002, a Escola Superior de Propaganda e Marketing confere-lhe o certificado de conclusão do “MBA Executivo em Comunicação”. Em 11 de janeiro de 2011 faleceu em Porto Alegre, aos 44 anos vítima de um câncer. Postumamente foram publicadas pela Editora Movimento três volumes de suas crônicas: “Viajar é Preciso”, “Pelas Águas de Março” e “Banho de Lua”, lançados em Alegrete, Porto Alegre e Florianópolis. A Prefeitura Municipal de Alegrete, na administração Erasmo Silva em reconhecimento de seu trabalho, instituiu o “Concurso de Crônicas Daniela Cunha” que continua sendo prestigiado pela atual administração, com oficinas nas escolas e premiações a cada Feira do Livro de Alegrete.

 

Fonte: www.alegrete.rs.gov.br/site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *