Na reunião de avaliação das enchentes, novos números dos prejuízos na economia e os problemas de água e luz

O prefeito Márcio Amaral coordenou nova  reunião de avaliação das enchentes em Alegrete,  em reunião no salão vermelho do Palácio Ruy Ramos, com a participação dos grupos de trabalhos.

Além da divulgação dos números de  desabrigados  e de famílias atingidas, totalizando 1909 pessoas (número que mais tarde foi atualizado pela Defesa Civil), foram revelados dados sobre os prejuízos principalmente na atividade econômica. Sobre a lavoura de arroz, os números estão sendo ainda calculados porque há  ainda muito arroz embaixo d’água. Na produção de leite, prejuízo de R$ 120 mil e na produção hortigranjeira, a conta chega a R$ 700 mil. Hortaliça não sobrou nada e  a produção de mel tem cálculo de perda de R$ 700 mil. A soja  tem, por enquanto, 2,3 mil  hectares comprometidos, mas não há ainda dados oficiais.

Foi informado de um segundo ponto de atendimento de  ambulâncias na tendo em vista  o desvio do tráfego pela BR 290 e solicitado reforço no atendimento de saúde no Centro Social Urbano.

Também foi divulgado na reunião que as redes de lojas que atuam na cidade vão estabelecer diferencial de preços de seus produtos para clientes cadastrados que perderam seus bens a fim de que possam adquirir móveis a um custo menor.

O prefeito informou sobre a alteração de datas de realização do Efipan que será de 23 de janeiro a 3 de fevereiro. E logo virá a  Campereada Internacional.

Três mil clientes sem energia elétrica e  abastecimento parcial de água

Presente na reunião, o consultor de negócios da RGE Sul, Thiago Paz, relatou que três mil clientes  estão sem energia em Alegrete, dos quais 600 com seus disjuntores desligados devido às cheias. A empresa está com 33 caminhões pesados e 21 equipes leves atuando na região, priorizando o atendimento na área urbana e depois o interior. Também está ocorrendo a troca de postes e, se não vier outro temporal, a previsão é de que segunda-feira a situação esteja normalizada, informou o representante da RGE Sul.

Já a Corsan, segundo  seu gerente Cristiano Machado, o sistema de bombeamento operou normalmente até o meio dia desta sexta-feira, sendo que após esse horário  foi feito o desligamento, por medida de segurança. Neste sábado, às 8h, haverá uma nova vistoria no ponto de recalque e com imagens de um drone será feita avaliação do quadro. Em princípio, explicou o gerente, as zonas Leste e Vila Nova abastecimento de água normal. Nas demais, pouca pressão na rede ou falta d’água.

O secretário de Infraestrutura, Jetter de Souza, fez um relato sobre o trabalho de recuperação de cabeceiras de  pontilhões e das estradas. É trabalho árduo e com alto custo, afirmou, por isso serão atacados os pontos mais críticos das estradas.

Arrecadadas 19 toneladas de alimentos

A respeito da campanha de arrecadação de alimentos, entre quinta-feira  e sexta-feira, foram  cinco toneladas arrecadadas, informou Rui Alexandre Medeiros. Mais de 140 cestas básicas já foram entregues via Secretaria de Promoção e Desenvolvimento Social.

Nesta campanha, talentos da terra como os Fagundes e Léo Paim estarão integrados na chamada em favor do gesto de solidariedade que via redes sociais chegará a todo o Brasil. O consulado do Internacional em vários Estados  também está se mobilizando, mas  em Alegrete, liderados por Vilmar Freitas, os colorados se juntaram e contribuíram com mil pães para o café dos desabrigados.

Com a diminuição na remoção das famílias, o tenente coronel Pacheco, comandante do 6º. RCB,  informou que a sua unidade vai continuar auxiliando em outras frentes como a distribuição de água e montagem das barracas, entre outras tarefas.

O Sesc Alegrete, através da diretora Cláudia Rizzati, anunciou a doação de 420  caixas de leite e biscoitos do programa Mesa Brasil, que serão entregues em Santa Maria.

 

Compartilhamento:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *